Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida de Toiros em São Cristóvão

O Gonçalo Cravosa Saúde, que saiu a Cabo do GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE MONTEMOR-O-NOVO nesta corrida, “ordenou” que, fosse eu a escrever sobre a dita, umas linhas… Confesso que há temas sobre os quais me sinto muito mais à vontade para falar e escrever… No entanto, como a voz do Cabo é para respeitar e porque também nestas matérias, o “ter que ser tem muita força”, tentarei à minha maneira corresponder á confiança em mim depositada e contar como foi ….

Meia casa de aficionados que perante o bizarro horário deixaram tudo (jantar, novelas, futebol, etc.) para presenciar este cartel…A tradição de facto ainda conta nestas coisas e há em cada um de nós motivações várias para estar presente independentemente de alguns “pormenores”. Como a minha motivação se centrou na presença do GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE MONTEMOR-O-NOVO no cartel, é sobre a sua actuação que me vou particularmente debruçar, não sem antes registar as simpáticas actuações dos três jovens cavaleiros em praça.

O “cabo” Gonçalo Saúde, deixou sobre o forcado João da Câmara a responsabilidade de abrir praça. Perante um toiro que “vacilou” ligeiramente antes da reunião, o João esteve muito bem desde que saltou à praça e até consumar com classe e arte “torera” a sua pega à 1ª tentativa, com todo o Grupo a ajudar.

O Francisco Bissaia Barreto foi ao terceiro. Revelando muito à vontade, citou bem e com elegância, tendo tapado o senão de ter carregado um pouco tardiamente e já com o toiro na viagem, com a garra enorme com a qual se aguentou no derrote forte após a reunião. Boa pega de um forcado que se distingue para já, pela forma como parece alegremente desfrutar do que está a fazer…

Para o quinto, foi escolhido o forcado Pedro Borges, cuja recente entrada no GRUPO DE FORCADOS AMADORES DE MONTEMOR-O-NOVO se saúda (obviamente como todas as outras…), também pelo facto de ser filho do grande forcado que foi o Francisco Borges…Os Grupos também se fazem e mantêm assim, de geração em geração…
Perante um toiro que não apresentou uma investida franca, o Pedro não terá conseguido, ao recuar, dar o passo que lhe faltou para se “sacar” e consumar à primeira tentativa a sua pega. Tendo tido de novo que “ir buscar” o toiro e corrigido que foi o pormenor em falha na primeira tentativa, o Pedro fechado de braços e pernas, realizou então uma bonita pega à segunda tentativa, com o toiro a fugir ao grupo e com uma “muito oportuna mão” do Caldeira Amaro e uma boa ajuda do João Maria Santos.

O Grupo do Ribatejo, pegou os seus toiros, de forma diferente da nossa, à 1ª, 3ª e 1ª tentativas……

Para finalizar duas notas: uma para o cuidado e a concentração evidenciados pelo Gonçalo Cravosa Saúde na condução do Grupo, o que terá contribuído para mais uma actuação distinta e segura, bem à Grupo de Montemor e a outra pela forma extremamente simpática como o Grupo continua a bem receber os seus amigos….

Num final de tarde e noite que partilhei com todos e mais de perto com esses “ícones” que são o Joaquim Murteira Correia, o Francisco Borges e o sempre presente Américo Chinita de Mira, por sinal antigo cabo dos dois Grupos ontem em praça …

Pelo Grupo de Montemor veio vinho….veio vinho e… “botámos” abaixo!!!


Ricardo Freixial, Julho/2010

Voltar
com o apoio de