Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida de Toiros em Santarém

No passado dia 23 de Outubro, o GFAM participou em Santarém na jornada taurina, que consistia em  4 espectáculos em dois dias, destinados a promover e enaltecer a tauromaquia portuguesa.

Aposta ganha da organização do evento, uma vez que o taurodromo escalabitano por três vezes esgotou, noutra praticamente encheu, tendo passado pelas bancadas da maior praça de toiros portuguesa certamente mais de 45000 aficionados, prova plena de que a tauromaquia está bem viva e enraizada entre o povo português. Como não podia deixar de ser, o Grupo de Forcados de Montemor associou-se a este evento tendo pegado o festival da tarde do dia 23.

Espectáculo bem montado, com seis cavaleiros e um matador de toiros e três grupos de forcados, sete novilhos/toiros oferecidos por outros tantos ganadeiros, note-se que todos os intervenientes do festival actuaram graciosamente.

Para pegar o primeiro toiro que nos calhou em sorte, saltou o Francisco Borges Jr , Cabo dos Juvenis, forcado jovem mas com alguma experiência, que vem realizando uma época recheada de boas pegas. Não se intimidou com o ambiente de responsabilidade que pesava em Santarém, pois a praça estava cheia e foi citando com calma e” toreria” pela vastíssima e desproporcionada arena de Santarém. O oponente terminou a lide algo cansado e distraído, tendo os esforços do Francisco para cativar a sua atenção durante o cite saído gorados. Desta forma, face à renitência do hastado em se arrancar, apesar de todo o esforço empreendido pelo forcado, acabou este por ter de entrar em terrenos de compromisso. No entanto, o forcado não se “desmanchou”, (quanto mim, poderia ter desfeito a pega evitando reacções imprevisíveis,) mostrou coragem e decisão, e carregou o toiro quase no focinho deste, tendo-se sacado muito bem para conseguir uma reunião vistosa, numa pega que resultou emotiva em virtude das distâncias dadas pelo primeiro ajuda e por alguma distracção de alguns ajudas. De qualquer forma, a pega resultou vibrante com todo o mérito para o forcado da cara que mostrou saber na hora de estar em frente ao toiro e que depois se agarrou com alma para não mais sair.

Para o segundo novilho – toiro de comportamento mais claro, foi escalado o forcado da terra António Dentinho, que apesar de estar mais rodado noutras posições, mostrou à vontade e saber, executando uma pega perfeita, com todos os tempos definidos, não de deixando intimidar pelos 15000 espectadores que estavam de olhos postos na pega.

Foi mais uma actuação de encher o olho do GFAM, que mais uma vez deram uma lição da arte de pegar toiros dando vantagens, onde ficou demonstrado toda a panóplia de recursos que o Cabo Zé Maria tem à disposição.

Um grande Abraço a todos, pedindo desculpa pela demora no envio desta breve crónica, do vosso amigo:

Manuel Mata

Voltar
com o apoio de