Nome
E-mail
Home | Notícias
Nocturna no Campo Pequeno

Grandes expectativas para aquele que era talvez o cartel mais atractivo da temporada de Lisboa - mano-a-mano entre Pablo Hermoso de Mendoza e o matador José Maria Manzanares - duas figuras máximas do toureio e o Grupo de Forcados Amadores de Montemor, outra figura a rematar à corrida. Toiros da ganadaria Charrua para a lide a cavalo e Benjumea, Garcia Jimenez e Juan Pedro Domecq para pé. 

Corrida agradável com uma muito boa lide do ginete navarro, e uma actuação boa de Manzanares no seu segundo e, muito bem no pouco que toureou o último que dividiu faena com Cuqui, o diestro "sobresaliente". Ao nosso Grupo as coisas não correram como todos desejávamos, mas já sabemos que por vezes calha...

Para o primeiro, de 580kg, perfilou-se Francisco Barreto, citou cá de trás como mandam as regras (que bonito é ver o nosso grupo naquela arena a dar as vantagens todas aos toiros), com serenidade mandou vir e no momento da reunião, apesar de a cornea do toiro não ser favorável, não o vi com a genica que tanto o caracteriza e saiu. Na segunda, emendou-se e fez uma pega limpinha, com o grupo de ajudas liderado por António Dentinho, e rematada por Francisco Godinho.

No nosso segundo, um "tio" com 630kgs, foi solista João da Câmara, um forcado de mão cheia que vinha cheio de motivação depois do "pegão" em Évora, mas as coisas não lhe correram da melhor maneira, na primeira tentativa o toiro foi chato para se meter com o forcado e só em distâncias curtas começou o cite. Faltou clareza na investida do toiro e mais provocação e consentir da parte do forcado. Não sendo um toiro violento, foi quanto a mim muito ingrato pois não transmitiu aos leigos as dificuldades que realmente tinha. Seguiram-se três tentativas em que se "perdeu os papéis" de alguma forma, mas em que o toiro dificultou bastante, nunca metendo a cara... Concretizou-se sem brilho à quinta tentativa com Joaquim Murteira Correia nas primeiras e Tiago Telles de Carvalho a rabejar. De notar que valentia e dignidade são requisitos para se ser forcado do Grupo de Montemor, mas o João têm-nas de sobra, nunca voltou a cara ao toiro e fizeram-se cinco tentativas em menos tempo do que já se têm visto fazer duas. Estou certo que para a próxima corre melhor ao “Camarinha” que é um forcado de mão cheia!

Para o terceiro foi Francisco Borges, para um bonito toiro castanho de 588kgs. Era importante pegá-lo a primeira, o Chico esperou por ele cá de trás e arrancou-se solto com pouco som, a pedir para ser provocado. O Francisco atrasou-se a carregar e o toiro caiu no trote e não foi a tempo do forcado imprimir velocidade à investida. Ainda assim conseguiu emendar-se bem trazendo o toiro consentindo-o até ao fim, para se fechar com eficácia numa pega simples com Joaquim Murteira Correia nas primeiras e Francisco Godinho na rabejação.

Infelizmente não correu como pretendíamos, mas o grupo vai dar a volta e, certamente, já na próxima, com toda a nossa Família a apoiar!

O jantar foi no agradável restaurante "Painel de Alcântara" com um ambiente menos festivo do que gostaríamos.... Triunfaremos já em São Cristóvão!

PELO GRUPO DE MONTEMOR,

VENHA VINHO,
VENHA VINHO,
VENHA VINHO!

João Braga

Fotografias: Maria João Mil-Homens, Florindo Piteira e Frederico Henriques (Campo Pequeno)

Voltar
com o apoio de