Nome
E-mail
Home | Notícias
Semana em Família!

O título desta crónica poderia muito bem ser “Semana de afirmação”, tendo em conta a aposta na juventude na primeira corrida e a “subida de bitola” na segunda!

A semana iniciou-se no tradicional 25 de Abril em Alter do Chão, este ano marcado pela despedida do nosso Tio Jorge Carvalho, após 25 anos a comandar os destinos desta castiça praça do Alto Alentejo. Um enorme abraço Tio Jorge, quem vier tem a fasquia bastante elevada, principalmente na vertente emocional. Vai ser difícil pôr tanto carinho e entrega num projecto, como o tio pôs ao longo deste quarto de século nesta sua “filha” mais velha. Esperemos que seja um até já!

Após uma viagem longa e um almocinho do melhor, fomos recebidos da boa forma a que já nos habituámos em casa da família Telles de Carvalho, pelo 2º ano consecutivo sem o nosso Tiaguinho, que faz sempre muita falta. Muito obrigado!

Vamos aos toiros!

Para celebrar os 100 anos da velhinha de Alter, perfilavam-se os cavaleiros João Moura Caetano, João Moura Jr. e Francisco Palha. No capítulo da Forcadagem, o habitual nesta data – Amadores de Montemor e Alter do Chão. Quanto ao mais importante do espectáculo, os toiros: 3 de Paulo Caetano e 3 de Moura Caetano, com mais gás os primeiros e a rondarem os 450 e os 500kg.

Falando da nossa arte, para abrir praça nesta importante data, saltou a trincheira o jovem Vasco Ponce. O Vasco é um Forcado de boas maneiras, gosta de aprender, vê vídeos, pergunta e quer ser cada vez melhor. É caso para dizer que está no bom caminho. Os melhores que vi, eram assim! Como tal, não lhe escapa nada, desde que entra em praça até ao final da corrida. Além disso, no final da última época fartou-se de ser gordinho e apresentou-se agora em muito boa forma, ingredientes reunidos para que tudo corresse bem. E assim foi, pega perfeita!

Um toiro que se adivinhava com uma reunião um bocadinho brusca, não foi o suficiente para amedrontar este “recém fit”. Pôs o barrete no “nosso sítio”, bateu as palmas e citou com classe. Tentou que o toiro não saísse por si, mas foi inevitável. Aguentou bem, recuou o necessário e reuniu na perfeição, depois teve bracinhos para aguentar um primeiro derrote chatinho e em seguida contou com um Grupo jovem mas cheio de vontade a fechar esta bela pega. Resultado: Prémio Luís Saramago para a melhor pega. Parabéns Afilhado!

Para o segundo, terceiro da ordem, saltou o nosso Maradona Jr, filho do Maradona sénior. Um Forcado muito pouco experiente, apenas com dois toiros pegados, mas com duas grandes (!!!) pegas, que fizeram merecer esta oportunidade. Mais uma vez, esteve à altura do que lhe foi exigido. Não esteve perfeito, mas também não era isso que se lhe pedia. Não acusou a pressão, esteve calmo, sereno e agarrou-se com uma vontade do tamanho do mundo. Parabéns João Calisto!

A fechar praça, frente ao toiro mais sério que nos calhou em sorte, saltou o Zé Maria Vacas de Carvalho. Na minha opinião o Zé Maria acusou um bocadinho a pressão, senti isso ao vê-lo carregar e ao “dançar” um bocadinho no momento de aguentar o toiro, mas que se diga em abono da verdade: foi onde muitos Forcados com 10 anos da experiência nunca foram, mesmo onde seca a boca! Acabou por pegar à segunda tentativa, numa bela pega, com destaque também para a primeira ajuda do João Mègre Pires e para as segundas da jovem dupla Zé Maria Cortes e Manuel Campilho, depois de uma primeira onde não reuniu da melhor forma. O Toiro era chato e saíste por cima! Parabéns Zé Maria.

De salientar a prestação do Grupo a ajudar neste dia! Muita malta nova, com os mais velhos de folga e a fazê-los temer pelo lugar. Muito muito bom!! Parabéns ao Grupo.

Corrida de Toiros em Estremoz

Depois de 4 dias de descanso, estávamos de volta ao Alentejo, desta vez em Estremoz.

Recebidos como sempre, na perfeição e com enorme amizade, pelo casal António Mendo Sousa Teixeira e Castelinho Potier Teixeira.

Adivinhava-se uma corrida séria e de compromisso, marcada pelo festejo dos 40 anos de alternativa do Maestro João Moura, ladeado por outro dos grandes nomes do toureio nacional: António Telles, a fechar a tarefa dos ginetes perfilava-se o cavaleiro da terra Francisco Cortes. No que diz respeito aos Forcados, dois Grupos ligados por uma enorme amizade, Forcados Amadores de Montemor e Aposento da Moita. Para serem lidados e pegados, 3 toiros de Passanha e 3 de José Luís Pereda.

Esta foi mais uma Corrida de oportunidades, ligeiramente diferentes das de quarta-feira, dois dos Forcados que pegaram neste dia já têm alguma experiência mas faltava aquele saltinho para outro tipo de toiros em compromissos mais sérios, estou a falar do Bernardo Dentinho e do António Calça e Pina. Estiveram à altura? Vão ter que ler o resto para perceberem!

Para abrir praça (essa enorme responsabilidade) foi entregue ao nosso Forcado dos Açores, Bernardo Dentinho. O Bernardo é um Forcado que eu pessoalmente tenho muita fé, tal como o Cabo e todo o Grupo. Veste muito a “camisola”, é muito perfeccionista e crítico, o que já é meio caminho andado.

Frente a um Passanha sério, com 540kg, o Bernardo teve uma primeira tentativa menos conseguida onde fez tudo ao contrário. Acusou um bocadinho a pressão do primeiro toiro da época e das responsabilidades inerentes, percebia-se bem que o toiro no momento da reunião lhe iria querer meter um píton e que, nessa altura, não podia estar onde o toiro lhe"marcasse a porrada", teria que aguentar até ao fim para depois se sacar a mil à hora. Pelo nervosismo natural, não aguentou o toiro e no momento da reunião, pumba (!) pitonada no peito, Açoreano no chão. Segunda tentativa, outro Forcado, tudo perfeito! Cite calmo e elegante, como sempre, desta vez a mandar no toiro e com uma reunião perfeita. Bela pega!

Para o nosso segundo toiro, um Pereda com 480kg e escasso de forças, o jovem Miguel Cecílio. O Miguel é da geração da malta que tinha pegado em Alter e foi para Estremoz a achar que calhava aos outros, estava tão descansadinho como eu, que não estava fardado. Mas por vezes as oportunidades surgem quando menos esperamos e neste dia aconteceu exactamente isso. Miguel, dou-te exactamente o mesmo conselho que te dei na altura, vê vídeos e tem atenção a todos os pormenores dos Forcados que mais admiras, temos que saber andar em praça!

Por outro lado, uma coisa que te caracteriza são as boas reuniões, à primeira não a tiveste e não te conseguiste fechar, à segunda já parecias tu, boa reunião e uma pega de fotografia. Toiro com a cabeça lá em cima, uma excelente primeira ajuda do João Mègre Pires (outra vez) e o Grupo todo a corresponder. Parabéns pela pega, mas reforço: atenção aos pormenores!

Rapaziada, queremos pegar os toiros à primeira tentativa, duas boas pegas em que precisámos de uma tentativa para aquecer!

Para pegar o maior toiro da tarde, saltou o Forcado António Calça e Pina, que não precisou de nenhuma para aquecer! “Estávamos todos a pensar no mesmo”, queríamos ver o Calcinha a pegar um toiro para Homens, depois de uma época perfeita no ano passado. Lá saiu o Passanha com 565kg, cheio de caracóis na testa, mas com boas intenções. O António levava a lição bem estudada e mostrou bem como é que se faz. Citou cá bem de trás e só teve tempo de dar dois passinhos, o toiro saiu solto e o Calça nem vacilou, pezinhos juntos e “ele que venha”. Excelente reunião, destaque para a primeira ajuda do Diego Caeiro e para a coesão do Grupo, pega 100% perfeita!

Uma abraço para os nossos amigos do Aposento da Moita que tiveram uma corrida bem diferente, com dois toiros muito muito duros e sérios. Pegaram os Forcados Miguel Fernandes um Pereda à antiga, à 3ª tentativa, onde saiu por cima do toiro, Leonardo Mathias à 2ª, outro pereda também sério, numa bonita pega e o Cabo Zé Maria Bettencourt (que dispensa apresentações) à sua 3ª, a dobrar o João Ventura depois de 3 duras tentativas, frente ao toiro mais sério e duro da tarde.

Duas palavras para o Ap. Moita, a primeira para o João Ventura – que recuperes rápido e voltes em força! A segunda, para o Miguel Fernandes, tinha-o visto actuar poucas vezes, mas a partir deste dia vou tê-lo sempre debaixo de olho. Que Forcado! Depois de pegar um toiro duríssimo e com más intenções, foi ajudar o coirão da tarde e sempre bem e a destacar-se, que ajuda numa tentativa do Zé Maria, onde infelizmente, acaba por se magoar num ombro. As melhoras Miguel e muitos parabéns pela valentia!

Brindes sentidos e com sentido em ambas as corridas. Em Alter ao Tio Jorge Carvalho, Tio Zé Cabral – antiga glória do Grupo de Montemor e natural de Alter, em Estremoz ao Maestro João Moura e ao casal anfitrião. Os outros dois, como é apanágio no nosso Grupo, destinaram-se ao público que paga o seu bilhete para nos ver, bem como aos restantes artistas.

Um abraço a todos. É sempre um prazer escrever para os meus amigos.

Pelo Grupo de Montemor, venha vinho!

Francisco Maria Borges

Alter do Chão - a corrida em fotografias (gentilmente cedidas por Maria João Mil-Homens):

Estremoz - a corrida em fotografias (gentilmente cedidas por Maria João Mil-Homens):

Voltar
com o apoio de